Buscar
  • melinasilvaarquitetura

A vistoria dentro das unidades privativas, é obrigatório?

Atualizado: 4 de Abr de 2020

Sim, se o síndico ou responsável pela edificação pretende manter a segurança integral da edificação.

Sim, se o profissional responsável pela autovistoria for um profissional, de fato, capacitado para a realização do serviço.

Muito tem se especulado a necessidade da vistoria nas unidades e tal especulação se dá pelo desconhecimento popular e/ou despreparo profissional.


Se, os pilares (colunas) e vigas fazem parte da estrutura do prédio e passam por dentro de TODAS as unidades, não há dentro das unidades, parte comum à edificação?

Se, as instalações prediais (elétrica, hidráulica, esgoto, gás) são distribuídas ao longo de do edifícios através de TODAS as unidades, não há dentro das unidades, parte comum à edificação?

Se, as paredes externas e compartilhadas (que limitam a área do(a) apartamento/sala, entre área interna e externa à edificação como fachadas, prismas de ventilação e circulação do prédio) são comuns entre as unidades e o condomínio, não há dentro das unidades, parte comum à edificação?

Se, as varandas de uma unidade desabarem, não prejudicarão as unidades imediatamente abaixo?

Se, as janelas ou seus vidros, de uma unidade se soltarem não colocarão em risco as pessoas, animais e veículos que estiverem no térreo ou na calçada?

Se, houver um vazamento ou aprisionamento de gás dentro de uma das unidades e isso provocar uma explosão, somente a unidade será prejudicada?

Se, por um motivo qualquer, a instalação elétrica de uma unidade sofrer alguma anomalia que incendeie as instalações, somente a unidade será prejudicada?


O fogo, assim como a água e a gravidade não respeita limites, principalmente se a construção não foi projetada com características para tal.

Tanto os síndicos e/ou responsáveis pela edificação e os profissionais responsáveis pelo laudo, são solidariamente responsabilizados, civil e criminalmente, em caso de sinistro.


Devemos salientar que, ninguém é obrigado a permitir o acesso à sua unidade privativa, assim como o profissional não é obrigado a se responsabilizar por algo que ele não vistoriou, dessa forma, no caso de não autorização para a vistoria, o fato deve ser relatado no laudo, estando o proprietário da unidade, sujeito a sansões em caso de sinistro.

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo